Propriedades naturais do pólen

 

    O pólen das flores, coletado pelas abelhas, é uma rica fonte de sais minerais, vitaminas, oligoelementos e principalmente proteínas. No homem é capaz de tonificar, reequilibrar e desintoxicar o organismo, favorecer o trabalho intelectual, evitar a anemia e fortalecer os vasos sanguíneos, além de agir como antidepressivo e prevenir a hipertrofia da próstata. 

 

     O pólen contém tudo que é necessário à vida. Possui a energia vital que transforma a flor em fruto, o fruto em semente e a semente em um novo ser.

 

 

Elemento masculino de reprodução produzido pela antera das flores, o pólen é indispensável para a fecundação e transformação da flor em fruto. Apresenta-se como milhares de grãos microscópicos de cores variadas. Cada grão pólen constitui uma entidade biológica que contém tudo o que é necessário para vida: proteínas, glicídios, lipídios sais minerais, oligoelementos, vitaminas, hormônios e enzimas.

O pólen é coletado das flores pelas abelhas que acrescentam-lhe mel e secreções enzimáticas, formando grânulos que são fixados em suas pernas posteriores e transportados para a colmeia. Ao entrar na colmeia as abelhas atravessam uma tela especial que dificulta a sua passagem, fazendo com que alguns grânulos de pólen se desprendam e sejam recolhidos pelo apicultor. Uma colmeia produz cerca de 50 a 80kg de pólen ao ano e apenas 10% desse raro produto pode ser retirado do enxame.

Como o principal fonte de nutrientes das abelhas e elemento insubstituível na produção da geleia real, o pólen é responsável pela vida das abelhas e sua disponibilidade na natureza determina a população e saúde dos enxames.

 

COMPOSIÇÃO:

 

A composição média básica do pólen consiste em 20% a 40% de glicídios, 20 a 35% de proteínas, 10 a 15% de água, 3 a 12% de lipídios, 2 a 6% de sais minerais e diversos componentes menores, dificilmente mensuráveis, mas de enorme importância biológica como: vitaminas, hormônios, pigmentos, enzimas, substancias antibióticas, substancias de crescimento e oligoelementos.

O pólen é dos produtos mais ricos qualitativamente em aminoácidos que se conhece na natureza. Cerca de 50% das proteínas do pólen são constituídas de aminoácidos livres, sendo mais encontrados os seguintes: acido aspártico, ácido glutâmico, alanina, arginina, cistina, glicina, histidina, isoleucina, leucina, metionina, fenilanina, prolina, serina, treonina, triptofano, tirosina e valina.

As vitaminas contidas no pólen são: o complexo B (B1 – tiamina, B2 –riboflavina, B3 – nicotinamida, B5 – ácido pantotênico, B6 – piridoxina, B7 – inositol, B8 –biotina, B9 – ácido fólico, B12 – cianobalanina) e ainda vitaminas C, D, E e provitamina A.

Os principais minerais e oligoelemntos presentes no pólen são: cálcio, cobre, enxofre, ferro, fósforo, manganês, potássio, silício e zinco.

 

PROPRIEDADES:

 

O emprego do pólen na alimentação e terapia humana é devido a sua grande variedade e riqueza de substâncias essenciais ao homem. As várias pesquisas sobre sua ação indicam que o pólen: harmoniza o metabolismo; estimula e aumenta a energia vital; tonifica; desintoxica; restabelece o bom funcionamento intestinal; desenvolve ação antianêmica e fortalece os vasos sanguíneos; favorece o trabalho intelectual e age como antidepressivo; previne e combate a hipertrofia da próstata e possui ação regeneradora sobre a pele, atuando ativamente sobre a fragilidade cutânea; despigmentação; unhas quebradiças e queda de cabelos.

 

INDICAÇÕES GERAIS:

 

A utilização do pólen por via oral é especialmente indicada para crianças e jovens em crescimento, gestantes, mães amamentando, esportistas pessoas submetidas a situações de grande exigência intelectual ou física e convalescentes.

É aconselhável o uso de pólen em casos de: astenias (ou estado de fadiga); anorexias (principalmente de origem psicológica); estado de carências (raquitismo, má dentição, retardo no crescimento) e envelhecimento prematuro.

 

INDICAÇÕES PARTICULARES:

 

Já foram constatados benéficos efeitos do uso do pólen em caso de problema: cardiovascular (arteriosclerose, hipertensão arterial, fragilidade vascular e varizes); digestivo (anorexia - estimulação da função gástrica, constipação – permitindo a suspensão do uso de laxantes); genito-urinário (problemas na próstata, astenias e impotência sexual); neuro-psíquico (inclusive insônia); ósseo-articular (artrose e reumatismo crônico); dermatológicos e de visão (fadiga ocular).

 

UTILIZAÇÃO:

 

O pólen deve ser ingerido pela manhã puro ou de acordo com seu hábito alimentar (no leite, iogurtes, frutas, queijos e até na sopa), experimente e descubra qual o jeito mais gostoso pra você.

 

DOSAGEM:

 

ADULTOS: 1 colher de sobremesa ao dia (7g)

CRIANÇAS: 1 colher de chá ao dia (3g)

É importante saber que ação do pólen sobre o organismo não é rápida nem abrupta, mas sim progressiva. Trata-se de uma ação profunda sobre o metabolismo que começa a se manifestar ativa após 2 ou 3 semanas de uso contínuo. Entretanto há casos em que sua ação benéfica é percebida desde as primeiras doses. Em geral, é recomendável a utilização contínua do pólen durante no mínimo 21 dias. Como tratamento, recomenda-se o uso continuo por um período de 3 meses. A utilização por muito leva a excelente regularidade orgânica e não contém contraindicações.

 

TOLERABILIDADE:

 

O pólen não contem contraindicações exceto em casos de:

  • Insuficiência renal- só deve ser utilizado sob recomendação médica.

  • Manifestações alérgicas ao pólen- é importante ressaltar que a incidência de alergia ao pólen coletado das abelhas é rara, mesmo entre pessoas que apresentam “febre do feno” ou alergia ao pólen transportado pelo vento na primavera. Até hoje não existem citações de incompatibilidade do uso concomitante a outros medicamentos. O pólen pode vir a complementar numerosas terapêuticas sem nenhum inconveniente. (DONADIEU, 1983).

 

INFORMAÇÕES AO USUÁRIO:

 

O pólen de flores api-levy é coletado diariamente em nossos apiários, passa por um processo de desidratação efetuado em estufa ventilada, mantida a temperatura de 35ºC a fim de preservar todas as suas substâncias inalteradas.

A sua conservação depois de desidratado e embalado é ótima durante 1 ano, porem não deve ser exposto ao sol e deve ser armazenado em local fresco.

Depois de aberto, o conteúdo do pote deve ser consumido em até 2 meses, mantendo-se sempre o pote fechado. Se for necessário conserva-lo por mais tempo depois de aberto, conserve-o na geladeira.

 

PRINCIPAIS REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

 

CAILLAS, A. – Le pollen, as recolte et ses usages, Paris, 1959.

D’ARBOGE, G. R. – Flora apistica italiana, Zoologia Agrária, Roma, 1981.

DONADIEU, Y. – Le pollen, Maloine, Paris, 1983

GALANTE, P. et ali – Cos’é il polline, Entronauti, Milano, 1980.

HODGES, A. – The pollen loads of the honey bee, Acad. Press, New York, 1976.

PROSERPIO, G. – L’ape cosmética, Erboristeria Domani, Milano, 1981.